Acompanhe as novidades

Correção de orelha: conheça todos os tipos

Publicado em 23/05/2018Correção de orelha: conheça todos os tipos

A correção de orelha pode ser feita através da cirurgia que chamamos de otoplastia. Em geral, uma orelha regular se encontra posicionada dentro dos limites das projeções laterais da sobrancelha e do ponto mais baixo do nariz, medindo em torno de 6,5 a 7,5cm e com uma largura aproximadamente de 50 a 60% dessa medida.

Para saber mais sobre a cirurgia de correção de orelha, continue lendo.

INDICAÇÕES DA OTOPLASTIA

A cirurgia de correção de orelha é indicada para pessoas que se sentem desconfortáveis com a aparência de suas orelhas devido às deformidades que podem ser de origem genética, traumática ou causada em decorrência de alguma doença. E ainda, indicada para danos e traumas ocasionados por acidentes ou para pessoas que sofrem atritos constantes, como os lutadores.

TIPOS DE CORREÇÃO DE ORELHA

Há três tipos de deformidades da orelha: posição, tamanho e formato. Saiba mais sobre os principais tipos de correção de orelha:

  • Orelhas de abano: é a deformidade mais comum, podendo ocorrer isoladamente ou ligada a síndromes e doenças. Neste caso, é indicada a cirurgia plástica de redução, onde se aproxima a orelha da cabeça.
  • Buracos e rasgos: ocasionadas principalmente pelo frequente uso de brincos pesados, a correção é feita através de uma pequena ressecção das bordas e suturas em linha quebrada, evitando assim, retrações depois da cicatrização.
  • Orelhas de tamanhos diferentes: em casos particulares, as dimensões de uma das orelhas pode se diferenciar da outra, para isso é corrigida reduzindo-se o tamanho de uma delas ou de alguma proeminência.
  • Microtia: deformidade congênita que provoca o subdesenvolvimento do ouvido externo. Esse tipo de correção de orelha é mais complexo, onde é feita a reconstrução total do pavilhão auricular (orelha externa) a partir da cartilagem costal.
  • Perda da parte superior da orelha: ocasionadas principalmente por acidentes, a correção é feita reconstruindo-se a parte externa por meio da cartilagem da costela do próprio paciente. Neste caso, é possível obter bons resultados, mas nunca será igual como antes.
  • Perda da parte inferior: caso a pessoa consiga preservar sua estrutura cartilaginosa é possível reconstruir aproveitando os tecidos vizinhos e, se necessário, complementando com enxerto de pele e cartilagem.

Para saber mais sobre a cirurgia de Otoplastiaentre em contato conosco em nosso site.