Acompanhe as novidades

Mastopexia de substituição: tudo o que você precisa saber sobre o procedimento

Mastopexia de substituição: tudo o que você precisa saber sobre o procedimento

De acordo com a ISAPS, intervenções cirúrgicas de caráter estético nas mamas ocupam o topo da lista dos procedimentos mais realizados em 2019. De modo geral, o descontentamento com a aparência dos seios é um dos principais responsáveis pelo aumento do número de mulheres interessadas nesse tipo de cirurgia.


As mudanças nessa parte do corpo ocorrem por diferentes motivos, principalmente em razão das alterações hormonais, gestação, amamentação e idade avançada. Sendo assim, é muito importante reconhecer as opções de tratamento para adotar a melhor forma de cuidado com as mamas.


Atualmente existem diferentes técnicas para garantir uma melhor harmonia e formato das mamas, sendo a mamoplastia de aumento e a mastopexia de substituição as abordagens mais comuns. Quer saber mais sobre esse assunto? Então, continue sua leitura!


O que é a mastopexia de substituição?


Assim como o passar dos anos, questões genéticas também podem influenciar o aspecto do tecido mamário. Isso significa que seu envelhecimento provoca a aplicação de peso em excesso sobre a pele, causando a desfiguração das mamas a partir de uma condição chamada de ptose mamária.


Na maioria dos casos, é possível corrigir a queda das mamas por meio de cirurgias plásticas para colocação de prótese de silicone ou mastopexia de substituição. Portanto, este procedimento nada mais é do que uma técnica que tem por objetivo remover o tecido mamário para colocação da prótese que dará sustentação às mamas.


Em via de regra, a ideia dessa cirurgia é retirar parte da glândula mamária que sustenta a pele para que o volume perdido seja recomposto a partir da colocação do implante. Assim, alivia-se o peso da pele, fazendo com que os seios tenham de volta seu aspecto mais firme e com contornos mais bem definidos.


Como o procedimento é realizado e quais seus benefícios?


A mastopexia de substituição é precedida da mamoplastia, já que para a colocação da prótese é preciso realizar incisão para remoção dos tecidos mamários. Entretanto, a principal diferença entre os procedimentos está diretamente relacionada com o volume retirado, isso porque é preciso extrair uma parte maior da glândula mamária para liberar espaço na hora de colocar grandes volumes de silicone.


As principais vantagens na realização da mastopexia de substituição são:


● maior definição dos seios;
● melhor simetria das mamas;
● redução dos índices de câncer de mama;
● maior resistência e menor flacidez da pele durante o envelhecimento;
● seios com volumes mais adequados, entre outros.


Desvantagens da mastopexia de substituição


Como você pode perceber, há diversos benefícios em relação ao procedimento de mastopexia de substituição. Por outro lado, é muito importante fazer uma avaliação individual e altamente criteriosa, já que esse método também apresenta desvantagens importantes, como:


● amamentação comprometida;
● eventuais complicações no processo de cicatrização;
● não é indicada para pacientes acima do peso;
● mamas muito flácidas podem inviabilizar o procedimento;
● comprometimento do volume mamário em caso de necessidade de remoção dos implantes, etc.


Qual a diferença entre a mastopexia e outras cirurgias mamárias?


Já vimos que as cirurgias nas mamas estão entre os procedimentos mais realizados nas mulheres. Mas, você sabe realmente como escolher a melhor técnica? Para saber o que é mais indicado para o seu caso é preciso agendar uma consulta de avaliação com um especialista competente e qualificado.


É por meio dessa consulta que serão avaliados aspectos primordiais à definição do melhor tipo de abordagem. Isso porque a paciente será submetida a uma série de exames para adequar tanto sua expectativa em relação ao procedimento quanto os resultados que poderão ser obtidos através da cirurgia.


Para promover uma maior segurança, tiramos algumas dúvidas básicas em relação aos procedimentos mais comuns. Entenda mais sobre o assunto a seguir.


Mamoplastia redutora e de aumento


A mamoplastia é um procedimento indicado para alterar o volume das mamas. Como o próprio nome sugere, ele tem por objetivo reduzir ou aumentar os seios. No caso da mamoplastia de redução, esse procedimento é mais indicado quando as mamas atingem um alto volume e passa a criar danos à saúde, como problemas de postura e dores lombares.


Já a mamoplastia de aumento é indicada para aumentar o volume através da colocação de implantes em silicone. Nesse caso, o tamanho da prótese pode variar de acordo com o biótipo de cada paciente. Sendo assim, tanto volume quanto posição devem ser definidos pelo médico em conjunto com a interessada.


Reconstrução mamária


A cirurgia de reconstrução mamária é um procedimento muito utilizado por mulheres que tiveram suas mamas retiradas em razão de algum acidente ou para tratamento ao câncer de mama. Nesse sentido, trata-se da restauração do seio perdido, mantendo sua característica, formato e volume natural e tem por objetivo devolver a saúde emocional e bem-estar das mulheres.


Mastopexia


Por fim, a mastopexia é uma cirurgia muito aplicada para dar uma melhor aparência às mamas, sobretudo quando há queda do tecido mamário. Entretanto, essa cirurgia pode ocorrer em três formatos distintos, envolvendo ou não a utilização de próteses de silicone, incluindo a mastopexia de substituição. Confira:


Mastopexia convencional: chamada de lifting de mamas, essa técnica consiste na correção da flacidez na região das mamas através da extração da pele em excesso, portanto, não inclui a utilização de próteses.


Mastopexia com prótese: diferente do que acontece no formato tradicional, a correção da flacidez se dá a partir da utilização de prótese para sustentação dos seios, tornando-os mais simétricos e firmes.


Mastopexia de substituição: como já destacamos neste artigo, a mastopexia de substituição trata-se da retirada de um maior volume na glândula mamária, incluindo o tecido acometido pela flacidez com o objetivo de adicionar uma prótese mamária para dar sustentação e volume aos seios.


Cuidados durante o pós-operatório


Por se tratar de um procedimento muito invasivo, a mastopexia de substituição exige diversos cuidados que devem ser seguidos à risca. Isso porque, nos primeiros dias posteriores à realização do procedimento, há um leve desconforto na região operada e, portanto, merece atenção e acompanhamento de perto do profissional responsável.


Além disso, durante o pós-operatório a paciente deve estar sobre repouso completo entre 15 a 20 dias. Assim, a retomada da rotina pessoal e profissional deve ser feita de maneira gradual, sempre observando as recomendações médicas.


Ademais, a paciente deverá utilizar sutiã cirúrgico pós-operatório para reduzir os impactos na área afetada, se manter longe de rotinas muito agitadas, não praticar atividades físicas ou movimentos intensos, pelo menos durante os 30 primeiros dias para evitar o surgimento de edemas na região.


Dessa forma, observados os cuidados necessários, o resultado final tende a se apresentar mais rapidamente e de maneira mais eficiente. De modo geral, o tempo médio para finalização do procedimento pode levar entre 6 e 12 meses — incluindo o processo de cicatrização.


Concluindo, a mastopexia de substituição é um procedimento muito comum, seguro e traz resultados excelentes. Para tanto, é de extrema importância saber escolher a equipe médica responsável e adotar todas as medidas preventivas recomendadas pelo seu cirurgião.


O que achou deste artigo? Quer ter os melhores resultados em procedimentos estéticos? Então, agende sua avaliação hoje mesmo!

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades e mantenha-se informado.

Solicite uma ligação
e tire suas dúvidas
Fale com um de nossos atendentes ou, se preferir, nós ligamos para você.