CIRURGIAS PLÁSTICAS ESTÉTICAS Voltar
Procedimento

Mamoplastia redutora

Solicite uma ligação! Assim que recebermos seu contato, ligaremos para você.

Indicação:

Após a puberdade, as mamas passam a ter uma consistência rígida devido à predominância da glândula mamária em sua composição. Com o passar dos anos, existe uma natural substituição da glândula mamária por gordura no interior das mamas, diminuindo sua consistência e ocasionando uma tendência à ptose (queda) das mesmas. Alguns fatores aceleram este processo, como gravidez, amamentação e grandes ganhos de peso seguidos de emagrecimento.

A mamoplastia redutora pode ser indicada para a redução de mamas volumosas ou para reposicionar mamas caídas (ptosadas) quando nos referimos a cirurgias como mastopexia. Cada vez mais frequente é a associação das mastopexias ao implante de prótese mamária de silicone, proporcionando maior consistência às mamas e repondo o volume perdido com o passar dos anos. Durante a cirurgia também é possível corrigir eventuais assimetrias entre as mamas, sejam elas de tamanho ou de posicionamento (uma mama mais caída que a outra, por exemplo). 

Tipo de anestesia:

Anestesia peridural ou geral, dependendo do caso e da associação ou não com outras cirurgias.

Técnica cirúrgica:

Existem inúmeras técnicas cirúrgicas descritas para a realização de mamoplastias redutoras e mastopexias. Cada uma dessas técnicas tem suas vantagens e desvantagens e a escolha da mais adequada será indicada por seu cirurgião plástico após minuciosa consulta médica. Sendo assim, podemos ter variações no tipo e na extensão da cicatriz, dependendo de cada caso a ser operado. As técnicas mais frequentemente para reduções mamárias e para mastopexias deixam uma cicatriz em forma de T invertido, ou seja, vertical a partir da aréola e horizontal no sulco existente entre a mama e o tórax. Algumas mamoplastias redutoras e mastopexias podem ser realizadas deixando apenas a cicatriz vertical ou peri-areolar, no entanto isso só poderá ser decidido durante a consulta médica.

 


Ilustração de uma das técnicas utilizadas na mamoplastia redutora.

Tempo de internação:

Geralmente 24 horas.

Pós-operatório:

Orienta-se evitar atividades físicas por pelo menos 30 dias, além de não levantar ou movimentar muito os braços durante as primeiras 3 semanas, período no qual também não será permitido dirigir. O sutiã cirúrgico deverá ser utilizado por pelo menos 2 meses, no 1º mês é necessário usá-lo 24h por dia e no 2º mês há alguns períodos sem a necessidade de utilizá-lo. Seu uso é importante para uma diminuição mais rápida do edema pós-operatório e para a melhor qualidade da cicatriz, pois os sutiãs convencionais possuem aros metálicos que podem interferir na qualidade da cicatrização.

Dificilmente ocorrerá dor importante, porém durante os primeiros dias ocorre um desconforto, o qual cede facilmente com a utilização de analgésicos e anti-inflamatórios comuns. Nos primeiros meses pode ocorrer diminuição de sensibilidade na mama, no entanto geralmente retorna ao normal em um período de 6 meses. Em casos de gravidez após a cirurgia, a amamentação costuma ser normal e a permanência do resultado da mamoplastia dependerá muito do ganho de peso obtido durante a gestação.  Quanto maior este ganho de peso, maior será a probabilidade de ocorrer queda nas mamas após o retorno ao peso anterior à gravidez.  É importante ressaltar que alguma perda de volume e de consistência nas mamas costuma ocorrer após os períodos de amamentação.

Complicações:

São raras, mas podem ocorrer, como em qualquer outro procedimento cirúrgico. Dentre as mais frequentes podemos citar: hematoma, infecção cirúrgica, cicatrizes inestéticas (como os queloides, muito dependentes de predisposição genética), sofrimento de pele e intercorrências anestésicas.

Resultado definitivo:

Nos primeiros 2 meses após a cirurgia as mamas ficam inchadas e com um formato diferente do definitivo. Até o 3º mês o inchaço diminui pelo menos 70%. Quanto ao formato, após três meses ocorrerá um movimento de báscula na mama, proporcionando um formato arredondado à região inferior da mesma, que fica discretamente achatada após a cirurgia. Quanto à cicatriz, nos primeiros meses tem um aspecto avermelhado e endurecido, mas aos poucos se torna mais clara, dependendo igualmente da genética da paciente. Em suma, podemos afirmar que o resultado definitivo da mamoplastia será alcançado entre 6  meses e 1 anos após a cirurgia.

Agende agora mesmo sua consulta com o Dr. Petronio Fleury

Compartilhe:


Dúvidas

Dúvidas frequentes

1. A gluteoplastia de aumento deixa cicatrizes?Toda cirurgia deixa cicatrizes, algumas em locais mais visíveis, outras em locais mais camuflados.  Felizmente, a cirurgia de... Leia Mais

1. A abdominoplastia deixa cicatriz muito visível?A cicatriz resultante de uma abdominoplastia (ou dermolipectomia abdominal) localiza-se horizontalmente logo acima da... Leia Mais

1. Onde se localizam as cicatrizes da blefaroplastia? São visíveis?As pálpebras são a região do corpo em que a pele apresenta a menor espessura. Isso auxilia... Leia Mais

1. Como são as cicatrizes da mamoplastia redutora?Existem inúmeras técnicas descritas para a mamoplastia redutora e o lifting de mamas, cada uma com suas vantagens, desvantagens... Leia Mais

1. O que é lipoaspiração? Qual a diferença entre lipoaspiração convencional e lipoescultura?A lipoaspiração é uma cirurgia cujo... Leia Mais

1. A rinoplastia deixa cicatrizes?A rinoplastia produz cicatrizes praticamente imperceptíveis. Certos narizes permitem que as cicatrizes fiquem escondidas dentro da cavidade nasal, deixando... Leia Mais

1. A mamoplastia de aumento deixa cicatrizes?Toda cirurgia deixa cicatrizes em nosso corpo, porém algumas são menores e mais escondidas. Este é o caso da cirurgia de... Leia Mais